Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Tempo e Clima Institucional e Projetos - Conheça a Diretoria de Hidrometeorologia

- Conheça a Diretoria de Hidrometeorologia

 

GERÊNCIA DE HIDROMETEOROLOGIA

 

Histórico da Diretoria de Meteorologia

 A Diretoria de Meteorologia – DMET, da Secretária de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos – SEMARH, é oriunda de um programa desenvolvido pelo Governo Federal através do Ministério da Ciência e Tecnologia – MCT e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, com a finalidade de implantação, nas diversas unidades federadas, particularmente no Nordeste do país, de Núcleos Estaduais de Meteorologia e Recursos Hídricos, com Treinamentos para Meteorologistas e Hidrólogos, dentro do Sistema de Informações Gerenciais do Tempo, Clima e Recursos Hídricos para o Nordeste - SIGTEC/NE (Programa Nordeste), em São José dos Campos - SP, no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, e em Fortaleza - CE, na Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos - FUNCEME. O programa foi implantado em Alagoas em janeiro de 1992, como Núcleo de Meteorologia e Recursos Hídricos de Alagoas – NMRH/AL, na Secretaria de Planejamento, dentro da Coordenação de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CDCT, onde funcionou até o ano 2000. Ao longo deste tempo, o NMRH/AL prestou expressivos serviços à sociedade como um todo, através da previsão do tempo, previsão climática, análise da precipitação, elaboração do balanço hídrico para o Estado, elaboração e desenvolvimento de projetos, Atendimento ao público em geral, etc.

A partir de 2000, o NMRH/AL foi transferido para a Secretaria de Estado de Recursos Hídricos e Irrigação – SERHI, secretaria mais compatível com os produtos desenvolvidos, sob a designação de Diretoria de Hidrometeorologia – DHM, e posteriormente Diretoria de Meteorologia – DMET, na Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos – SEMARH. 

Atividades

Recepção e processamento de dados observados 

A Diretoria de Meteorologia possui um Sistema de Dados Meteorológicos (SDM), na qual utiliza um Banco de Dados Computacional, aberto ao publico, que auxilia nas atividades de ensino e pesquisa e outras aplicações em meteorologia, hidrologia, recursos hídricos, saúde pública, meio ambiente, etc. Os procedimentos para armazenamento do Banco de dados são feitos diariamente da seguinte forma:

 

·       Recebimento de dados meteorológicos através do sistema FTP, site, email e telefone;

·  Validação e processamento das variáveis meteorológicas para o Banco de Dados Meteorológico;

·       Análise da precipitação Diária;

·       Boletins diários e comparativos para Defesa Civil/Gabinete Civil;

·       Elaboração de produtos tais como gráficos e mapas (SURFER) setorizados;

·       Divulgação para a sociedade - Fornecimento de dados meteorológicos (Diário e mensal) e climáticos;

·       Acompanhamento da situação dos equipamentos meteorológicos para a boa conservação – Pluviômetro Convencional, Pluviômetro Digital, Estações Meteorológicas;

·       Cadastro de usuários para recebimento da previsão diária via email.

 

As variáveis atmosféricas disponibilizadas para consultas no SDM são: precipitação acumulada; temperatura; umidade relativa do ar; pressão atmosférica; ponto de orvalho; insolação; radiação; direção e velocidade do vento.

 

Previsão do tempo para o estado de Alagoas

           

A Diretoria de Meteorologia é o órgão oficial do governo do Estado de Alagoas responsável pela previsão diária do tempo para as principais instituições governamentais e público em geral. Atualmente, diversos produtos estão sendo desenvolvidos para auxiliar a equipe de meteorologistas na realização da previsão de tempo com alto grau de confiabilidade para até 72 horas de antecedência. Dentre as ferramentas utilizadas atualmente, destacam-se:

· A utilização de imagens de satélite dentro do Sistema EUMETSAT, fruto do convênio SEMARH/EUMETSAT (Alemanha), e disponibilizadas em diversos canais para facilitar a interpretação das condições atmosféricas.

· Utilização de Modelos numéricos de análise e previsão do CPTEC/INPE, INMET e MRF, entre outros, adaptados para a região Nordeste do Brasil, que abrangem os seguintes campos meteorológicos essenciais para a formulação da previsão: linhas de corrente e magnitude do vento, advecção de vorticidade, convergência do fluxo de umidade, umidade relativa e pressão reduzida ao nível do mar.

 

Modelagem numérica computacional

           

A equipe da diretoria de meteorologia adaptou um modelo numérico de previsão regional em curto prazo, e operacionalizou o modelo numérico RAMS, para melhorar a qualidade da previsão na costa leste do Nordeste do Brasil, utilizando técnicas de validação do modelo e fazendo a análise e interpretação desse modelo numérico de previsão do tempo, que é disponibilizado pela diretoria de Meteorologia em seu site.

 

Análise da precipitação mensal

           

Mensalmente é feita a análise da precipitação mensal no Estado através dos seguintes tópicos: análise da precipitação observada em relação à normal climatológica através de mapas e gráfico, distribuição diária da precipitação, análise da precipitação acumulada durante o ano e desvios percentuais da precipitação mensal no Estado dos últimos 12 meses. A análise das condições pluviométricas mensais, serve de subsídio para o planejamento de ações em diversos meios, como agricultora, abastecimento de água, etc...

 

Balanço Hídrico

           

Contabiliza a precipitação perante a evapotranspiração potencial, levando em consideração a capacidade de armazenamento de água no solo. O Balanço hídrico climatológico também é uma ferramenta importante para a cadeia agrícola do estado de Alagoas, pois através dele, é possível estimar as condições de água no solo e sua aplicação em diversas culturas importantes para a economia do estado.

 

Manutenção e operacionalização da rede Hidrometeorológica

                                                

A Diretoria de meteorologia é responsável pela operacionalização, manutenção e ampliação da rede Hidrometeorológica do estado e de regiões de interesse que provocam impactos diretos no estado. Cabe a DMET, instalar e manter todas as Plataformas de Coleta de Dados (PCD) meteorológicas, como também manter e ampliar a rede pluviométrica de Alagoas.

 

Participação nas reuniões mensais de análise climática para  o Nordeste

 

De janeiro a julho e em dezembro são realizadas as Reuniões Climáticas, nas diversas capitais do Nordeste, com a finalidade de analisar os parâmetros meteorológicos de grande escala (Temperatura da Superfície do Mar – TSM, Ventos, Radiação de ondas longas – ROL, etc.) e consequentemente prever o comportamento do clima nos próximos três meses, no norte do Nordeste e semiárido e posteriormente no leste do Nordeste.

Participam destas Reuniões Climáticas os Centros Estaduais de Meteorologia e Recursos Hídricos, além do CEPTEC/INPE, INMET e FUNCEME.

 

Atendimento ao público

           

A DMET realiza o atendimento a Instituições, Empresas e ao público em geral nos seguintes tópicos:

 

· Fornecimento de dados meteorológicos das seis regiões ambientais do Estado de Alagoas.

·  Informações sobre previsão climática referentes ao leste do Nordeste do Brasil e consequentemente ao Estado de Alagoas.

· Informações sobre previsão de tempo para todas as regiões ambientais do Estado.

· Fornecimento de laudos técnicos para empresas e o público em geral.

 

Entrevistas

 

Os técnicos do DMET participam continuamente de entrevistas para jornal, rádio e televisão, nas quais são enfocados os índices pluviométricos do Estado (principalmente da estação chuvosa), a previsão climática para Alagoas, a previsão do tempo para as regiões ambientais do Estado, além dos fenômenos de grande escala como o El Niño e La Niña.

 

Atualização do site da SEMARH no setor de Tempo e Clima.

 

O Site em questão é atualização com os seguintes tópicos:

 

· Previsão do Tempo – Previsão para as regiões ambientais do Estado de Alagoas, com prognósticos de chuva para 24 horas.

· Análise Mensal - Análise da precipitação mensal no Estado.

· Precipitação diária – Precipitação diária dos últimos 10 dias.

· Imagens de Satélite – Imagens do satélite METEOSAT-9. Imagens atualizadas a cada 15 minutos.

· Normal Climatológica – Gráficos das médias históricas nas regiões ambientais do Estado.

· Dados Mensais – Tabelas com a precipitação mensal nas regiões ambientais de Alagoas.

· Previsão Numérica – Previsão através do modelo RAMS adaptado para Alagoas.

· Mapas de Média Climatológica – Mapas da média climatológica de precipitação por bacia hidrográfica e municípios.

· Gráficos Mensais – Gráficos mensais de precipitação mostrando a chuva observada, a média histórica e o desvio percentual de precipitação.

· Estações Meteorológicas – Dados horários das estações meteorológicas.

· Agrometeorologia – Boletim quinzenal de Agrometeorologia para Alagoas.

· Mapas de Precipitação Acumulada – Chuva acumulada em Alagoas durante o mês.

· Balanço Hídrico – Contabiliza a precipitação perante a evapotranspiração potencial, levando em consideração a capacidade de armazenamento de água no solo.

· Índice Ultravioleta – Máximos diários de IUV por Região/Município.

· Gráficos de Intensidade de Precipitação – Apresentação de gráficos somente com chuvas significativas na cidade de Maceió.

· Previsão Climática - Resultado das Reuniões de Análise Climática para o Nordeste do Brasil e previsão para o Estado de Alagoas e adaptação do mesmo para o Estado de Alagoas.

· Tábua das Marés

· Previsão de Ondas

· El Nino e La Nina – Situação atual destes fenômenos meteorológicos.

· Fases da Lua

· Diretoria de Meteorologia

· Estações do Ano

 

SALA DE ALERTA - REDE DE MONITORAMENTO HIDROMETEOROLÓGICO

 

Após as enchentes de 2010, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Alagoas – SEMARH, através da sua Diretoria de Meteorologia – DMET, firmou um Acordo de Cooperação Técnica com a Agência Nacional de Águas – ANA, que resultou na criação da Sala de Situação, que tem como objetivo principal, centralizar informações hídricas e meteorológicas em tempo real para planejar e promover ações destinadas a prevenir e minimizar os impactos de eventos extremos como enchentes e secas do estado de Alagoas.

Através do Acordo de Cooperação Técnica, foi montado um sistema de alerta nas principais bacias hidrográficas com histórico de cheias no Estado de Alagoas. O sistema conta com equipamentos instalados em vários municípios que são responsáveis por monitorar e transmitir informações sobre a pluviometria e o nível dos rios em tempo real. Através desses dados os técnicos da Sala de Situação subsidiam as ações de prevenção e mitigação dos efeitos causados por secas e inundações dos órgãos de proteção e defesa civis.

O sistema encontra-se em constante manutenção e ampliação e conta atualmente com 19 equipamentos instalados nos municípios de: Limoeiro de Anadia, Colônia Leopoldina, Jacuípe, Correntes-PE, Palmeirina-PE, Canhotinho-PE, São José da Laje, União dos Palmares, Rio Largo, Porto Calvo, Brejão-PE, Quebrangulo, Paulo Jacinto, Viçosa, Cajueiro, Capela, Atalaia, Flexeiras e Anadia.

Além do monitoramento de rios, objetivando principalmente o monitoramento da seca, o Estado de Alagoas está em fase de ampliação desse sistema no que se refere ao monitoramento dos principais reservatórios de abastecimento de água, onde também serão instalados equipamentos para monitoramento da pluviometria e do nível dos reservatórios.

           

AÇÕES DA SALA DE SITUAÇÃO DO ESTADO DE ALAGOAS

 

Frente as diferentes regiões do estado de Alagoas, e os diferentes eventos, a Sala de Situação promove ações que se adéquam as especificidades de cada bacia e de cada evento extremo, seja ele de chuva ou seca.

As principais ações promovidas pela Sala de Situação:

 

·       Elaboração de boletins meteorológicos diários de previsão do tempo com 72 horas de antecedência - Contém o prognóstico de 24h,  48h e 72h por região ambiental, de pluviometria, temperatura, umidade relativa do ar, índice ultravioleta, velocidade e direção do vento.

·       Elaboração de avisos hidrometeorológicos quando da possibilidade de ocorrência de eventos extremos - É a junção das informações meteorológicas com informações sobre a situação momentânea dos rios e reservatórios num mesmo boletim. Esses avisos têm como principal cliente a Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Alagoas (CEDEC-AL).

·       Elaboração e divulgação de previsões climáticas em consenso com os principais Centros Estaduais do Nordeste e Centros Nacionais de Meteorologia - É o resultado de análises de modelos climatológicos baseados em cenários de condições atmosféricas e oceânicas realizadas em reuniões mensais entre INMET, CPTEC/INPE, CEMADEN e os centros estaduais da região Nordeste. Contém a tendência climatológica trimestral de precipitação e temperatura.

·       Elaboração de boletins pluviométricos diários e/ou horários da rede hidrometeorológica do estado de Alagoas - Contém os dados das chuvas das últimas 24h, 10 dias anteriores e acumulados do mês atual e anterior de todas as plataformas de coleta de dados e pluviômetros do estado de Alagoas.

·       Elaboração de boletins hidrológicos diários através de modelagem hidrológica e monitoramento, ilustrando as condições atuais e futuras das bacias monitoradas - Boletim contendo informações sobre o nível, a situação e a tendência dos rios monitorados por plataforma de coleta de dados.

·       Operacionalização, manutenção e ampliação da rede Hidrometeorológica do estado de Alagoas e regiões de interesse que provocam impactos diretos no estado - Instalar e manter Plataformas de Coleta de Dados (PCD) hidrometeorológicas, como também realizar diagnósticos das bacias utilizando equipamento medidor de vazão ultrassônico - M9, entre outros.

 

OPERACIONALIZAÇÃO DA SALA DE SITUAÇÃO

 

PERÍODO SECO

Durante o período seco, tanto no Semiárido, quanto no Agreste Alagoano, a sala de situação produz boletins hidrometeorológicos diários, com informações do nível dos rios monitorados, nível dos reservatórios monitorados, previsão do tempo para o dia atual e os dois dias subsequentes, além do boletim pluviométrico contendo os dados de chuva das últimas 24 horas para o estado de Alagoas.

Tendo em vista a necessidade de alertar com antecedência a ocorrência dos eventos hidrológicos extremos, devem-se fixar níveis de atenção.

O nível de atenção para escassez hídrica, doravante chamado de Déficit, deve considerar a situação que corresponde ao potencial comprometimento dos usos da água.

 

PERÍODO CHUVOSO

 

Durante o período chuvoso, os boletins pluviométrico e de nível dos rios, passam a ser atualizados de acordo com a importância do evento.

 

FUNCIONAMENTO EXTRAORDINÁRIO

 

            Quando da ocorrência de eventos extremos, a sala de situação pode operar em horários extraordinários. Dependendo do nível do evento, o funcionamento extraordinário poderá ser remoto, ou nas instalações da SEMARH.

Em casos de funcionamento remoto, os técnicos em sobreaviso, disporão de:

 

  • Telefone coorporativo;
  • Veículos à disposição, caso haja necessidade de deslocamento;
  • Dispositivos de internet móvel, em casos de falha das conexões pessoais.
  • Em casos de funcionamento extraordinário nas próprias instalações da Sala de Situação, os técnicos disporão de:
  • Toda a infraestrutura disponível na SEMARH;
  • Veículos à disposição, caso haja necessidade de deslocamento;
  • Dispositivos de internet móvel, em casos de falha das conexões de internet da SEMARH.

           

Durante eventos extremos, os boletins terão frequências alteradas, que dependerá de quão crítico é o período, chegando a periodicidade máxima de um boletim por hora para rios (PCD's), que é periodicidade mínima das plataformas de coleta de dados instaladas em áreas que não dispõem de sinal de telefonia móvel (GPRS). A frequência de boletins meteorológicos também poderá ser alterada de acordo com a intensidade do fenômeno meteorológico.

Assim como no período seco, devem-se fixar níveis de atenção. A definição do nível de atenção para cheia deve considerar a evolução dos hidrogramas de cheias típicos da região. Além do monitoramento de eventos críticos, o Estado de Alagoas conta com uma ampla rede composta por pluviômetros e estações meteorológicas, ferramentas computacionais (modelo numérico, imagens de satélite) e um amplo banco de dados de informações que auxiliam os técnicos na previsão e no monitoramento hidrometeorológico diário, fazendo com que o Estado de Alagoas seja capaz de prever cenários relativos ao tempo e ao clima. Essa estrutura é utilizada, também, no planejamento de ações em várias áreas como: Agricultura, Infraestrutura, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, dentre outras, como também para apoiar pesquisas e projetos científicos..

 

EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL

 

GESTOR DA SALA DE ALERTA

RESPONSÁVEL: José Gino de Oliveira.

TITULAÇÃO: Graduado em Engenharia Civil

CONTATOS: (82) 3315-2627 dmet@semarh.al.gov.br

 

BOLSISTA

RESPONSÁVEL: Rômulo de Araújo Abreu

TITULAÇÃO: Especialista em Agrometeorologia

CONTATOS: (82) 3315-2627 gecte@semarh.al.gov.br

 

SUPERVISOR DE OPERAÇÃO DA REDE METEOROLÓGICA

RESPONSÁVEL: Emanuel Ramos Teixeira.

TITULAÇÃO: Mestrado em Meteorologia

CONTATOS: (82) 3315-2627 meteosistem@gmail.com

 

CONSULTORES

RESPONSÁVEL: Vinicius Nunes Pinho

TITULAÇÃO: Mestre em Meteorologia

CONTATOS: (82) 3315-2637 viniciuspinho@gmail.com


RESPONSÁVEL: Brunno Pires de Azevedo Castro

TITULAÇÃO: Pós graduado em Redes de Computadores

CONTATOS: (82) 3315-2637 castro.brunno@gmail.com

 

RESPONSÁVEL: Antônio Henrique Mendonça do Nascimento

TITULAÇÃO: Graduando em Meteorologia

CONTATOS: (82) 3315-2637 nascimentoantoniohenrique@gmail.com

 

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-01.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-02.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

banner-transparencia.png

ANA

OUVIDORIA SEMARH 2.png.jpeg

boletim-hidrologico.png

RGA2.png

residuos solidos.png.jpeg

BannerBlog.png

IMA